Shih Tzu é a raça de cachorro mais roubada do Brasil - VEJA COMO EVITAR!

Shih Tzu A raça mais roubada do Brasil - Passear com o seu shih tzu pelas ruas e parques deixou de ser uma atividade tranquila e passou a ser perigosa. O aumento do furto de cachorro da raça shih tzu estão preocupando as pessoas que os possuem.

Além dos roubos e sequestros nas ruas, muitos invadem casas e canis para roubarem os filhotes de shih tzu e tambem adultos. O objetivo destes ladrões é fazerem criações ilegais e/ou venderem.

De acordo com a lei nº 9605/98, este crime configura como mau tratos e a pena é de três meses a um ano de detenção, mas se houve invasão de propriedade e furto, a pena se torna maior.

Porque o Shih Tzu A raça de cachorro mais roubada do Brasil



O shih tzu, é considerado o cão mais queridinho do Brasil e, como consequência, se tornou o mais roubado. As raças Spitz Alemão, Bulldog Francês, Maltês e Yorkshire também estão na lista dos mais roubados.

Uma pessoa que cria o shih tzu e se apega emocionalmente com o seu bichinho, na maioria dos casos, sente um carinho semelhante ao carinho de um pai ou mãe por um filho, tornando a dor deste trauma mais intenso.

Para evitar que seu shih tzu seja roubado, tome os cuidados listado a seguir:


  • Nunca amarre seu shi tzu do lado de fora de padarias, mercados e etc. Apenas poucos segundos distante do seu shih tzu é o suficiente para o levarem.
  • Não o leve para passear em ruas desertas.
  • Nunca revele o valor de custo do seu shih tzu.
  • O shih tzu não é um cão de guarda, não o deixe no quintal da frente de casa. Observação: Os shih tzu é um cão para ser criado em ambientes internos.
  • Não deixe seu shih tzu dentro do carro, pois além do risco de furto, corre também o risco de morrer.
  • Não compre shih tzu em feiras ilegais.
  • Não deixe estranhos acariciarem seu shih tzu.
  • Evitar soltar o shih tzu em parques, sítios ou praias.

Atenção: O microchip não localiza o shih tzu, como um sistema de GPS, somente serve de identificação se alguém encontrar o animal e dispor de um meio de usar o leitor no animal.