Shih Tzu é feito de refém por dono de floricultura que ameaça matar o animal

Investigadores do 13º Distrito Policial resgataram quarta-feira um cachorrinho da raça shih-tzu, chamado Fred, que foi retirado à força na noite de terça-feira do apartamento onde vivia no bairro Tatuquara, em Curitiba.

O shih-tzu foi levado pelo dono de uma floricultura, um homem de 55 anos, que alegou que a proprietária do shih-tzu, uma mulher de 33 anos, não havia pago o valor de R$ 1,2 mil referente a flores e vasos adquiridos em seu comércio em Colombo, na região metropolitana.



De acordo com o delegado Gerson Machado, o comerciante foi com outros dois homens ao condomínio onde a cliente morava com o shih-tzu e pediu para o síndico para ir até o apartamento. Ao entrar na residência, o dono da floricultura passou a fazer ameaças à mulher e a revirar o quarto dela.

Como não encontrou dinheiro, o comerciante decidiu levar o cachorro e a partir de então passou a ligar e a mandar mensagens à dona para que pagasse os R$ 1,2 mil, senão o shih-tzu seria morto.

O celular do comerciante foi apreendido pela polícia para que as ameaças enviadas sejam anexadas ao processo.

Mulher registrou o B.O. na delegacia


“Assim que a mulher registrou o B.O. na delegacia, enviamos uma equipe à floricultura em Colombo, onde foi encontrado o animal, que estava bastante assustado”, explica Machado. “A mulher quase desmaiou de tanta alegria ao rever o cachorro”, completa o delegado.

O policial explica que o comerciante foi preso em flagrante e responderá pelos crimes de furto qualificado por ter levado o shih-tzu, além de tentativa de extorsão. Os dois homens que acompanharam o comerciante ao apartamento da mulher já foram identificados e também serão indiciados.

O síndico do condomínio também será indiciado. “O síndico vai entrar no processo como coautor do crime, já que ele não poderia ter permitido o acesso do comerciante ao apartamento da mulher sem autorização judicial”, explica o delegado.



O comerciante foi encaminhado à carceragem do 7º Distrito Policial, no Hauer. Junto com o comerciante, foi apreendido um revólver calibre 38.

Fonte: Gazeta do Povo