Homem compra avião para salvar Cães e Gatos da eutanásia - Shih Tzu * Tudo sobre shih tzu

Homem compra avião para salvar Cães e Gatos da eutanásia

O ex-soldado norte-americano Paul Steklenski comprou um avião para salvar cães e gatos da eutanásia. Ele já salvou mais de 700 bichinhos da morte decretada.

O ex-soldado norte-americano Paul Steklenski utiliza suas habilidades de piloto de avião para salvar cães e gatos da eutanásia. Ele já salvou mais de 700 bichinhos da morte decretada.
Essa nova missão começou depois que Paul, 45 anos, adotou a cadela Tessa, igualmente condenada à eutanásia. A ideia inicial era fazer os resgates por terra, dirigindo um carro, de acordo com informações do site Portal do Animal.

Mas, como esse desejo coincidiu com as aulas para pilotar avião, em 2013, apenas como um hobby, Paul, que é de Schwenksville, Pensilvânia, mudou seu plano. Assim que obteve a licença de piloto, ele decidiu fazer os resgates de avião.

Dois anos depois, em maio de 2015, Paul criou a Flyng Fur Animal Recue, uma organização dedicada a salvar animais da eutanásia.

Desde que começou essa nova missão, o ex-soldado regatou mais de 700 cães e gatos da eutanásia

Ele comprou um avião, por quase 56 mil euros (pouco mais de 260 mil reais, segundo a cotação do dia), que encheu de caixas transportadoras para os bichinhos.
“Quando o motor começa a trabalhar, eles adormecem ou ficam acordados olhando pela janela. Tenho a sensação de que eles sabem que coisas melhores estão por vir.”

Futuramente, Paul pensa em comprar um avião com capacidade maior para abrigar os cães e gatos condenados à eutanásia. Até hoje, Paul diz ter salvo 742 animais.

“Ver os cães nos canis partia meu coração. Era horrível pensar que havia tantos animais sofrendo eutanásia por estarem presos num determinado lugar”, afirmou Paul.
Cada viagem de resgate tem um custo que varia entre 1360 e 2060 reais, a depender da distância percorrida. Paul tira esse dinheiro do próprio bolso – uma média mensal de 34 mil reais. A Flyng Fur Animal Recue depende de doações para resgatar mais animais.
Paul tira um dia por mês para realizar as viagens. Depois que acolhe os cães e gatos, ele leva os animais para abrigos que não praticam a eutanásia. “É um trabalho extremamente emocional, mas muito recompensador”, diz ele.

Via: razoesparaacreditar