Estudo diz que os Shih Tzu podem Agir com os Humanos de Acordo com os Seus Interesses - Shih Tzu Brasil Pular para o conteúdo principal

Estudo diz que os Shih Tzu podem Agir com os Humanos de Acordo com os Seus Interesses

De acordo com a pesquisa, os cães podem manipular os seres humanos para alcançar seu objetivo, que pode ser mais comida, mais petiscos, mais carinho

Se o SHIH TZU sempre faz mais a sua carinha de coitadinho com olhos de pidão para certas pessoas do que para outras, saiba que ele está agindo de acordo com os interesses dele.
De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Suíça e publicado na revista Animal Cognition, os cachorros sabem quem vai lhes dar aquilo que eles querem e quem é mais durão, e dificilmente vai fazer a vontade do pet.

Para chegar a essa conclusão de forma objetiva, os pesquisadores fizeram testes com 27 cães de raças diferentes entre as idades de 1,5 e 14 anos.

Antes de iniciar os testes, todos os animais foram treinados para diferenciar duas mulheres pela sua generosidade em relação à comida, uma mais aberta a fazer as vontades dos animais e outra mais durona.

A pessoa mais aberta, “cooperativa”, deu um petisco para os cães. Já a durona, “competitiva”, mostrou o petisco, mas não entregou para os peludos. Mais tarde, testes revelaram que os cachorros preferiam a pessoa cooperativa.
Em seguida, os animais viram uma salsicha (petisco muito desejado por eles) e biscoitos serem colocados dentro de duas caixas idênticas, enquanto uma terceira do lado continuava vazia. Depois, eles foram treinados para levar uma pessoa até a caixa que tinha comida.

Depois veio o teste de fato. Eles deveriam levar a pessoa até uma das caixas que estivesse com comida dentro. Eles foram testados duas vezes com uma pessoa “cooperativa” e duas vezes com uma pessoa “competitiva”.

Já no primeiro dia de teste, os cães foram mais propensos a levar a pessoa cooperativa para as caixas de comida do que a competitiva. Ao levar as duas pessoas para as caixas com comida, a cooperativa deu a comida para os cães, enquanto a competitiva mostrou e guardou de volta na caixa.

A percepção dos cães de que uma pessoa os agradava mais do que a outra ficou ainda mais perceptível no segundo dia de testes, quando um maior número de animais levou a pessoa cooperativa até a caixa que tinha seu petisco favorito e levou a pessoa competitiva para a caixa vazia.

“Em ambos os dias de teste, os cães estavam mais propensos a guiar o parceiro cooperativo do que o competitivo para a caixa contendo o alimento preferido, e este efeito foi mais forte no segundo dia do que no primeiro dia de teste”, disseram os responsáveis pelo teste.
Ainda de acordo com os pesquisadores, mais da metade dos cachorros percebeu que levar a pessoa competitiva até a caixa de salsichas não os beneficiaria nem um pouco, por isso eles preferiam levá-las para a caixa vazia.

Para a treinadora de cães Elisha Stynchula, com o seu trabalho e convivência pessoal com cachorros em casa já foi possível perceber que eles são inteligentes ao ponto de fazer o que lhes interessa mais. Para ela, eles manipulam inteligentemente o cenário em seu benefício.

A principal autora da pesquisa, Marianne Heberlein, afirma que os cães continuam sendo um “companheiro leal e adorável”, mas que o estudo mostrou que eles tentam otimizar seus próprios lucros. “Eles parecem saber o que querem e também podem manipular os seres humanos para alcançar seu objetivo”, explica ela.

É exatamente isso o que eles fazem quando nos olham com aquela carinha mais fofa de coitadinho, nos manipulam para conseguir mais comida, mais petisco e mais carinho.

Texto: Broadly
Tabela

Recomendamos