Importância do banho e tosa em cachorros

Saiba de que maneira o banho e a tosa podem ajudar a manter a saúde do seu pet e em que fatores prestar atenção na hora da higienização canina. Que os cães devem ser mantidos limpos e higienizados todos sabem. No entanto, muitos donos de pets ainda ficam com dúvidas na hora de mandar seus amiguinhos para o banho e tosa, principalmente em relação à frequência que esse tipo de limpeza deve ser feita. A verdade é que cada raça de cão tem suas próprias particularidades e, por isso, cada caso deve ser analisado isoladamente – já que a necessidade e constância dos banhos e tosas serão determinadas, justamente, por estas características.


 Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Cães com pelagem mais vasta e longa, por exemplo, precisam de muita escovação nos pelos além do banho e da tosa, pois os fios embaraçados podem ser o ambiente perfeito para o acúmulo de sujeira e o aparecimento de problemas como a dermatite (também causada pela falta de banhos e higiene, em geral). 


Além da pelagem, conhecer os hábitos do cão em questão também é fundamental para definir a hora do banho, já que um cão que vive em ambientes externos ficará muito mais sujo do que um que vive a maior parte do tempo dentro de um apartamento. 

De modo geral, a recomendação é de que os cães tomem um banho a cada 15 dias, sendo que os que se sujam mais podem reduzir este tempo pela metade. Escovar seu pet antes da água também é algo importante e, caso você mesmo vá dar o banho no cão, deve utilizar produtos próprios para eles – e aproveitar para higienizar áreas importantes, como dentes e ouvidos (lembrando-se de colocar um algodão no local para que não entre água). 

No caso da tosa, a quantidade de pelagem também é um fator determinante, e deve ser observada – já que, ao contrário do que muitos pensam, a tosa não é um processo que serve apenas para deixar o seu pet mais bonito e, sim, algo que pode evitar acidentes e ajudar a manter a saúde do animal. 

Para manter seu pet longe de complicações, o mais indicado é que ele seja levado para uma tosa higiênica mensalmente em algum local com profissionais de confiança; e não é uma boa ideia arriscar fazer o processo sozinho – até porque, cortar as unhas dos bichinhos é uma tarefa delicada, e se isso não for feito na maneira correta, o seu pet pode acabar saindo machucado. 

Mais focado na saúde do que na estética do animal, a tosa higiênica apara os pelos em excesso de partes determinadas do corpo do animal; incluindo barriga, patas, região íntima e ânus - garantindo que o cachorro não escorregue pelo acúmulo de pelagem nos coxins (almofadinhas da sola das patas) e não fique sujeito a doenças por resíduos de fezes ou sujeiras nas áreas íntimas.
Clique no link e descubra opções para os banhos e tosas do seu pet.


Matéria validada pela Dra. Raquel Madi (CRMV – SP 20.567), Médica Veterinária formada pela Universidade Estadual de Londrina – PR e responsável pelo setor de Radiologia, Ultrassonografia e Ressonância Magnética em Hospital Veterinário de São Paulo. Dra. Madi é integrante da equipe de veterinários do portal CachorroGato. 

                                                                                           





 Fonte: mulher.terra.com.br