Dicas para evitar que roubem seu shih tzu


- Raças de pequeno e médio porte;

Recentemente, tem sido noticiado nos jornais o aumento do roubo de cachorros de raça. E isso tem ocorrido em grande parte devido ao grande valor sentimental que os donos têm por esses animais e também, pelo grande valor de mercado que algumas raças chegam a atingir.
A facilidade de roubar um cachorro também é algo que torna esse crime algo novo e procurado pelos ladrões, visto que na grande maioria das vezes, o crime ocorre quando a vítima está passeando sozinha com o seu cachorro.
O que acontece aqui é bem parecido com o que acontece com o tráfico de animais silvestres. Mas neste caso, os traficantes roubam da natureza para vender por um preço mais barato do que se o comprador fosse adquirir em um local licenciado pelo IBAMA.
Os ladrões procuram normalmente as raças de porte pequeno e médio, que tenham alto valor de mercado e que sejam reconhecidamente de temperamento manso.
Desta forma, fica fácil para eles conseguirem vender depois por um preço mais em conta.
Agora, da mesma forma que ocorre no tráfico de animais silvestres, isso só ocorre por que tem gente que compra. É claro que no caso do roubo de cachorros, fica difícil do comprador desconfiar que aquele cachorro é roubado.
E a outra forma é o sequestro de cachorros, onde os bandidos percebem a ligação dos donos com seus animais e sequestram os cachorros, pedindo depois pequenas fortunas em troca.
Alguns cachorros que fogem podem acabar sendo “achados” por outras pessoas e que acabam ficando com eles, sem procurar devolver para o dono. Ou pior, chegam a tentar achar os donos, mas não conseguem encontrá-los.
Como evitar o roubo de cachorros então?
Primeiro de tudo, se você passar por uma situação dessas, não deve reagir, pois as consequências de uma reação podem ser as piores possíveis.
1) Identificação com plaquinhas!
É muito importante que o seu animal tenha preso na sua coleira, uma plaquinha de identificação. Mas não basta ter apenas o nome do animal... é preciso que tenha o telefone e nome do responsável.
  

Essa medida pode ajudar nos casos onde o cachorro foge e é achado por outra pessoa.
Além disso, o assaltante pode não perceber e vender o animal com a coleira de identificação e posteriormente a pessoa que comprou o cachorro roubado, entrar em contato.
2) Identificação com microchip ou tatuagem!
Apesar de o microchip não ser visto por quem rouba ou compra o cachorro, ele serve para uma identificação nos casos de donos que estejam à procura de seus cachorros.
Essa é uma forma de provar que aquele animal é seu.
Mas é claro que se o cachorro te ama, ele vai provar isso para qualquer um e ninguém terá dúvidas de que ele é seu.

Cachorros com pedigree normalmente têm tatuagem na orelha com um número/código de identificação. Portanto, guarde sempre muito bem os documentos de identificação do seu cachorro.
3) Não deixe seu cachorro sozinho na rua!
Algumas pessoas tem mania de durante o passeio com o cachorro, aproveitar para ir no mercado, na padaria ou na farmácia e acabam deixando o cachorro preso com a guia em algum poste ou árvore.

Esses cachorros são os mais fáceis de serem roubados, pois se o cachorro não estranhar, a pessoa pega e leva embora... e você só vai se dar conta quando voltar e não achar mais ele.
4) Sempre ande com o cachorro na guia com coleira!
Além de evitar acidentes como atropelamentos, brigas com outros cães que partem para cima dos que estão soltos, isso também facilita enormemente ao assaltante, pois nem com você ele está.
5) Procure andar sempre em dupla ou em locais movimentados.
Existem muitos bandidos oportunistas, esperando uma vítima que dê o menor trabalho e risco possível para ele. Uma mulher andando sozinha à noite em uma rua vazia é um prato feito para eles.

Para evitar esse tipo de bandido, ande sempre com mais pessoas. Procure juntar com alguns amigos e passearem juntos.
Meu cachorro foi roubado, o que fazer?!
O primeiro a ser feito neste caso, como todo tipo de roubos, é fazer um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima da onde ocorreu o fato, dando todas as informações possíveis sobre os assaltantes.
Depois disso, você pode:
1) Divulgar fotos do seu cachorro em mídias sociais e cartazes nas ruas próximas.
Procure colocar fotos que caracterizem muito bem o seu cachorro, como uma de corpo inteiro. Fotos que mostram alguma característica única, como uma mancha no pelo, alguma cicatriz, qualquer coisa que possa caracterizar bem o seu cachorro (essas são melhores).
Nas divulgações em mídia sociais, diga o que aconteceu, como o cachorro estava na hora que foi roubado (se tinha coleira azul, roupinha...) e de algum telefone para possíveis contatos.
Utilize grupos específicos para melhorar a sua divulgação. Não adianta muito você divulgar num grupo de “Cachorros do Brasil” se o seu animal foi roubado no Rio de Janeiro, por exemplo. Procure grupos relacionados à sua região. Grupos de Cachorros Achados e Perdidos também é uma opção.
2) Não ofereça recompensa em dinheiro!
A própria polícia não recomenda que nestas divulgações se faça o uso de recompensas em dinheiro.

O que acontece nestes casos?
Muitos trotes são realizados, dando falsas informações (apenas em busca da recompensa) e você pode acabar virando vítima de um sequestrador oportunista, que vai pedir muito mais para devolver o animal e muitas vezes nem está com ele...
Quais são as raças mais procuradas pelos assaltantes?
Todas elas possuem características em comum que são:
- Raças de grande valor financeiro;
- Raças de temperamento calmo e mansas;
Portanto, aqui estão algumas delas:
1)    Maltês
2)    Pug
3)    Bulldog Francês
4)    Lulu da Pomerânia / Spitz Alemão
5)    Lhasa Apso
6)    Shih Tzu
7)    Yorkshire
8)    Pastor de Shetland


Fiquem atentos! Pois este é um tipo de crime que tem aumentado demais em todo o Brasil!

Texto: Dr.Alexandre Figueiredo