Dicas práticas e fáceis para educar seu cachorro

Ter um cachorro de estimação em casa já é, por si, a garantia de muito trabalho para os tutores, que devem oferecer uma vida saudável, com qualidade, proteção e muitos carinhos para o animal. No entanto, tomar todas as precauções para que o pet viva bem não quer dizer que ele será obediente e comportado, e ter noções de técnicas de adestramento é fundamental para dar ainda mais bem-estar ao animal, evitando situações incômodas no dia-a-dia e uma série de reprimendas ao cão.

Possibilidade que os tutores de cães não precisem lidar com um pet que late ou pula em cima de todos os convidados, móveis comidos ou sapatos mordidos ao chegar em casa, as técnicas básicas para adestrar um cachorro são simples e fáceis de se colocar em prática, e a repetição delas (combinada com reforços positivos) é o que promove o condicionamento do animal a um comportamento mais tranqüilo e , principalmente, obediente.
Com isso em mente, confira algumas dicas práticas para adestrar o seu pet e evitar algumas das situações mais comuns e problemáticas na vida de quem tem um cão desobediente em casa:
- Repreenda o cachorro toda vez que ele “encoxar” as visitas. É fundamental que seja o tutor (ou outra pessoa que não a própria encoxada) que dê a bronca no animal, já que ele entende melhor o que está fazendo de errado quando a ordem vem de uma pessoa diferente da que ele está tendo contato.
- Para que o cão pare de pular nas pessoas que visitam sua casa, pisar na coleira (se o cão estiver usando) ou borrifar água em direção ao seu rosto (mas não dentro do focinho) podem ser boas opções para causar incômodo no pet e fazê-lo mudar o comportamento.
- Para evitar que o animal tente roubar alimentos da mesa, uma boa alternativa é amarrar a uma lata com moedas no chão ao prato em que ele costuma ‘atacar’. Na próxima investida o barulho das moedas irá incomodar o cão, e ele deixará de repetir a atitude.
- Tendo em vista que, na maioria das vezes, o excesso de latidos vem da falta de exercícios físicos, crie atividades variadas para que o animal brinque e gaste bastante energia, amenizando o comportamento. Fazer pequenos buracos em uma garrafa de plástico com petiscos também pode ser uma boa opção para entreter o cão e incentivar o gasto de energia acumulada.

Por Priscila Franco - Matéria validada pelo Dr. Ricardo Tubaldini (CRMV – SP 23.348), Médico Veterinário formado pela Universidade Paulista e Cirurgião Geral e Ortopedista em Hospital Veterinário de São Paulo. Dr. Tubaldini é Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato.