Meu cão não para de latir! E agora?



Hoje vamos falar sobre um assunto muito importante pra quem tem seu cão de estimação ou está pensando em ter um. Com o crescente número de cães vivendo em grandes centros urbanos e muitas vezes em apartamentos, o barulho dos seus latidos tem se tornado motivo frequente de brigas entre vizinhos, familiares e muitas vezes até motivo de abandono do animal. Segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos, mais de 10% dos casos de abandono se dá porque o cão da casa late ou uiva demais.
Pra nossa surpresa, na grande maioria dos casos, nós mesmos o ensinamos a ser assim! É incrível o peso das nossas ações sobre o comportamento dos nossos cães e a simples falta de orientação nesse caso gera problemas com dimensões muito maiores. Buscando entender melhor como resolver esse problema, devemos primeiramente entender as causas desses latidos.
cachorro-latindo-para-chamar-atencaoÉ natural que todo cão se expresse dessa maneira quando fica excitado, assustado ou em estado de alerta com algum barulho, pessoa, objeto ou local estranho. Se seu cão late para um barulho que está acontecendo na rua, no hall de entrada do apartamento, para o caminhão de lixo passando ou para o vendedor de vassouras na rua, a última coisa que devemos fazer quando isso acontece é penalizá-lo. Se ele estivesse bem e esses barulhos fossem normais e naturais no seu dia-a-dia, não precisaria estar latindo. A melhor forma de resolver o problema é prevenir esses latidos deixando-o o mais seguro possível nessas situações. Colocando-o a uma distância considerável, onde ele veja o objeto se aproximando mas ainda não demonstre insegurança, nos dará a possibilidade de premiá-lo diante daquilo e tornar aquela experiência que antes era terrível em algo muito prazeroso, muitas vezes associado à comida, brinquedos e outros tipos de recompensa.
Se o problema for um barulho como fogos de artifício, buzinas ou algo do tipo, podemos reproduzir esses sons em um computador ou rádio e aumentar o volume gradativamente durante várias sessões sem deixar que ele se estresse. Se sentir bem com o barulho cada vez mais alto e receber uns agrados por isso será uma ótima preparação para quando ele realmente tiver que lidar com isso.
Se o seu cão late para conseguir comida, brincadeiras, para te tirar do quarto ou chamar a atenção durante a madrugada, a causa do problema pode ser outra completamente diferente. Na convivência com nossos cães temos a péssima tendência de tratá-los da mesma forma que uma criança, dando broncas verbalmente, conversando e até tentando convence-lo de que está fazendo algo de errado com palavras e é aí que começam os problemas. Quando nosso cão late e nos dirigimos à ele, já não importa se vamos dar um carinho ou uma bronca. Essa atenção é a maior recompensa que ele pode ter e muitas vezes, sem perceber, acabamos premiando esse comportamento indesejado.
Para ser claro, diria o seguinte: o melhor treinamento para ensinar seu cão a latir muito é: em todas as vezes que flagrar ele latindo, mandá-lo calar a boca!
Se ficou claro o que eu disse antes, sabemos que nesse caso o cão recebeu sua atenção em 100% das vezes que latiu e agora aprendeu que quando quiser “falar com você” é só latir que você responde na hora – estratégia muito eficiente na maioria dos casos que eu vejo.
Se você quer que ele pare de agir assim, primeiro deve entender que ele não é chato, escandaloso ou mal criado. A causa dele ter essa motivação tão grande por latir é a forma como foi criado e tem todos os motivos para agir assim. Em segundo lugar, devemos nos policiar para não responder a esses chamados. Quando levamos um filhote pra casa e ele chora durante a noite, imediatamente vamos checar o que ele tem e assim estamos ensinando-o a latir. Para que não caia nessa tentação, verifique antes de deixa-lo se tem cobertura eficiente, lugar confortável para dormir, água e local adequado para fazer as necessidades e se ainda assim se sentir inseguro pode colocar um computador com programas como o Skype® em conversação e atendimento automático, câmeras de segurança ou algum artifício para monitorá-lo sem ir até lá valorizar aquele comportamento. Ao se frustrar e não ter seu chamado atendido, ele vai desistir de te chamar assim em poucas noites ou até horas.
Cães são espertos e conseguem ser sensíveis ao ponto de entender em que situações você fica mais vulnerável e predisposto a dar atenção aos seus latidos. Poderia colocar vários exemplos como: de madrugada em um prédio com todos os vizinhos dormindo, quando estamos ao telefone ou celular, quando recebemos uma visita, quando estamos saindo de casa para o trabalho…
Imaginou esses cenários? Então não deixe só para essas ocasiões para treinar seus cães. Crie situações onde ele possa latir por um tempo e não trará consequências mais sérias, previna esse comportamento induzindo-o a ficar quieto com um osso ou um brinquedo de rechear com comida e premie seu bom comportamento também.
Muitos dos problemas de comportamento acontecem somente por falta de entendimento entre o cão e seu dono e basta direcioná-lo para uma atitude correta que ele deixa de agir de forma como agia antes. Se desde novo eu sempre me preocupei em deixá-lo à noite com um brinquedo interativo com comida ou algo para brincar, ele nunca terá motivos para me chamar e ficará muito bem no canto dele sem a minha presença. Se eu ensinei meu cão que na hora das minhas refeições ele deve permanecer deitado em uma caminha ao lado da mesa e que ele será recompensado por isso, ele não tentará chamar minha atenção com latidos e pulos pra conseguir a minha comida.
Antes de ficar bravo com seu cão por uma atitude desagradável, tente entender com qual objetivo ele faz aquilo. Direcione-o para um comportamento agradável como ficar calmo ou deitado e então o recompense por isso. As atitudes mais valorizadas são as que mais se repetirão, não caia na rotina de só punir o seu cão sem ensiná-lo a forma correta de se comportar. Além de piorar o problema, você criará um cão frustrado e infeliz.
Na próxima semana falaremos sobre um treinamento muito legal para receber visitas em casa. Se precisar de ajuda ou dicas mais detalhadas, consulte um adestrador profissional capacitado.

Fonte: Pet Hub