Saiba mais sobre alergia no pelo dos cachorros

As alergias representam cerca de 50% dos casos em relação aos problemas de pele entre os cães. Esse tipo de condição é resultado da reação anormal do sistema imune a algum alérgeno no ambiente ou mesmo na dieta: pólen, ácaros e alguns tipos de proteínas. O resultado pode ser um incômodo tão intenso que o cachorro pode até mesmo se ferir ao coçar-se. Veja mais sobre o que fazer nesses casos.
A presença de alguns tipos de substâncias no ambiente ou mesmo na dieta do seu cão que levam a problemas de pele devido a alergias.. Se não detectada e tratada, a coceira em excesso leva ao cão a acabar ferindo a própria pele, aumentando as chances de ocorrência de dermatites: as infecções por bactérias e fungos oportunistas que levam a lesões de pele feias e doloridas! 
Muitas vezes, os sintomas aparecem logo após o contato com o alérgeno. Um exemplo: o cachorro brinca em uma área com grama e logo depois aparece com diversas partes avermelhadas e bem irritadas.

Isso ocorre pois a principal forma de contato com os potenciais alérgenos é diretamente com a pele. O pólen presente em alguns ambientes pode atingir o organismo via respiratória e ser também responsável pelo sintoma. Ácaros microscópicos encontrados em ambientes naturalmente quentes e úmidos, como o clima tropical brasileiro, podem ser responsáveis pela alergia também. 
Como existe uma predisposição genética em algumas raças a essa condição, raças de cachorros como os da raça Chow Chow ou Shar Pei podem sofrer mais com essa condição. Isto é um quadro de Dermatite Atópica!  A atopia é uma forma de descrever uma condição alérgica: alguns indivíduos produzem anticorpos do tipo IgE quando expostos a alguns tipos de elementos. Os sintomas mais comuns são coceira, eczemas.
Existem testes alérgicos (bem parecidos com os feitos em humanos) que ajudam a investigar a causa. O proprietário deve ficar atento e consciente de que o caso pode ser crônico, mas controlável. Podem ocorrer recaídas. O tratamento dessa condição exige acompanhamento individualizado: não adianta somente tratar os sintomas, é fundamental descobrir qual é a causa.
Além do uso de medicamentos, uso de imunoterapia alérgeno-especifica, ainda podem ser necessárias mudanças no ambiente e até mesmo na dieta.  Existem rações terapêuticas especiais para esses casos, que devem ser usadas sob prescrição do médico veterinário.
Se esse for o caso do seu cachorro: procure um dermatologista veterinário para obter mais informações sobre o assunto!  

Matéria revisada por um profissional veterinário da Equipe AgendaPet.