Glândulas anais e adanais em cachorros

As glândulas anais são resquícios de tempos remotos, quando os cães e gatos precisavam se defender de predadores na selva


Os cães possuem glândulas anais (adanais), dois sacos localizados nos dois lados e um pouco abaixo do ânus (aproximadamente localizadas entre 5 e 7 horas em cada lado da abertura anal) que tem como função lubrificar as fezes e principalmente comportamental.
As glândulas soltam pequenas quantidades de fluidos quando pressionadas durante a urinação e defecação, produzindo um odor desagradável e fétido e de cor castanha.
Na prática, as glândulas são resquícios de tempos remotos, quando os cães e gatos precisavam se defender de predadores na selva, despistando-os. Hoje, identificam o cão diante de outros cães, comunicando informações quanto ao sexo, idade aproximada, saúde, posição hierárquica, dentre outros.
Nas glândulas anais saudáveis, elas são esvaziadas naturalmente durante a evacuação do animal.
Nos casos que as glândulas anais não funcionam normalmente, elas precisam ser esvaziadas manualmente por um médico veterinário ou pelo próprio tutor do cão, que nesse caso, deve aprender com um profissional como efetuar o procedimento, que geralmente é feito 1 vez por mês.
O responsável deve conhecer exatamente a localização da glândula, a pressão que deve ser aplicada ao espremer e o momento certo de parar.
Um funcionamento errado pode ser um resultado de malformações hereditárias ou de um histórico de alimentação de má qualidade.
Sem serem esvaziadas da maneira correta, podem tornar o processo de evacuação difícil e doloroso, podendo potencialmente levar a infecções, fístula, abscesso e até a ruptura das glândulas.
As glândulas podem vir a se tornar tumores, tanto em fêmeas quanto em machos, apesar de ser mais comum no macho não castrado, pois a fonte para o tumor de glândula anal seria a testosterona, produzida no testículo.
Todos os cães de todas as idades podem ter problemas nas glândulas anais, entretanto, é mais comum acometer cães de raças de porte pequeno, como Basset Hounds, Beagles, Cocker Spaniels, Chihuahuas, Poodles e Lhasa Apsos.

Sinais de possíveis problemas com as Glândulas Anais

– Cachorro esfregando o bumbum no chão;
– Animal correndo atrás do rabo;
– Mordendo e lambendo na área próxima ao ânus;
– Odor fétido próximo ao ânus;
– Fezes com textura mole;
– Dificuldade em defecação.

Drenagem as Glândulas Anais

Passo 1) Como o processo pode sujar o ambiente, é recomendado que seja feito em um banheiro, especialmente na banheira. É interessante combinar o processo de drenagem com um banho.
Passo 2) Reunindo o material: – Luvas em látex – Panos úmidos Caso o cachorro vá tomar banho, também reunir com antecedência shampoo e condicionador canino.
Passo 3) Vire o bumbum de seu cão para sua direção. Segure-o, mas garanta que ele esteja confortável. Se necessário, chame alguém para auxilia-lo no processo. Levante o rabo do cão, expondo o ânus do animal.
O procedimento não deve machucar o seu cão, porém se as glândulas estiverem inflamadas, seu pet pode estar querendo proteger o bumbum mais do que o normal. Preste atenção na linguagem corporal do cão.
Passo 4) As glândulas anais estão localizadas aproximadamente entre 5 e 7 horas em cada lado da abertura anal.
Passo 5) Usando luvas de látex, aplique pressão, firme mas com cuidado, nas glândulas. Segure um pano na frente da abertura, para evitar que o fluido suje o local.
Passo 6) Um líquido deve ser expelido. Não repita o processo. Simplesmente limpe o seu cão com o pano e o recompense.

Gráfico: Portal do Dog
Gráfico: Portal do Dog

Drenagem das glândulas anais (vídeo em inglês)

Uma usuária do Youtube filmou o procedimento de drenagem das glândulas anais no seu cão. O vídeo está em inglês.




Fontes: DogsterPetfinder e DogCare.