Cachorro agressivo de repente:o que pode ser

Seu cachorro ficou agressivo de repente? Talvez a razão seja a tireoide. Muitas pessoas sabem que os cachorros podem ter problemas comportamentais relacionados à tireoide, mas poucos tutores estão cientes dos sintomas do hipotireoidismo em cães, principalmente os sintomas comportamentais. Estes sintomas incluem a chamada síndrome da raiva, caracterizada pela agressão extrema e inexplicada, fobias graves e distúrbios cognitivos. Para o veterinário poder confirmar o hipotireoidismo, é necessária a realização de um exame de sangue no cachorro. Além disso, é importante que o tutor observe o comportamento do seu pet para poder relata-lo ao veterinário. Se o hipotireoidismo for confirmado, a boa notícia é que o tratamento é simples e não é caro.



Mas o que é tireoide e o que ela faz, afinal?

A tireoide faz parte do sistema endócrino e secreta dois hormônios que atuam no controle do metabolismo, afetam o coração, regulam a síntese do colesterol e estimulam o desenvolvimento de células sanguíneas vermelhas. Os hormônios da tiroide também são essenciais para o crescimento normal e desenvolvimento de sistemas neurológicos e do esqueleto, além de outras funções.
Os cachorros podem sofrer de hipotireoidismo por várias razões. Os seus tutores devem lembrar que essa é uma característica hereditária e algumas raças são mais propensas a apresentarem o problema – um fato que os tutores dessas raças não gostam nada de ouvir.
O hipotireoidismo canino é mais frequente devido a uma condição chamada de “tireoidite autoimune” na qual o sistema imunológico não reconhece a tireoide como parte do corpo do cachorro e a ataca. O “ataque” na tireoide torna a glândula incapaz de produzir a quantidade de hormônios que o corpo precisa para a função ideal.

Mas por que o hipotireoidismo deixa o cachorro agressivo?

A maneira que a baixa função da tireoide afeta negativamente o comportamento é por meio de problemas em uma parte neuroendócrino que controla as reações ao estresse sofrido. Alguns pacientes com hipotireoidismo têm níveis de cortisol (o hormônio do estresse) bem elevados, o que demonstra um estado de tensão constante. Essa tensão é associada a depressão e a função mental deficiente, bem como outros problemas.

Faixa de problemas comportamentais

Os veterinários e pesquisadores vêm ligando mudanças no comportamento para hipotireoidismo há mais de 12 de anos. Os vários problemas comportamentais dos cachorros podem ser agrupados em três categorias: agressão, timidez extrema ou perda de consciência.
Os casos envolvendo agressões são muitas vezes semelhantes uns aos outros. Um cachorro bem comportado se irrita com um outro cachorro ou ser humano, sem qualquer sinal prévio. O comportamento dos cachorros com essa condição muda radicalmente e eles “perdem as estribeiras” cada vez mais, principalmente na presença de estranhos. Infelizmente, não é incomum que cachorros que sofrem dessa conduta (e não são devidamente diagnosticados e tratados) se tornem tão agressivos que seus donos não conseguem mais cuidar deles e acabam os abandonando.
Na outra extremidade do espectro comportamental estão os cachorros que se tornam muito tímidos e medrosos devido ao hipotireoidismo. Embora não seja uma ameaça para os seres humanos, as manifestações extremas deste tipo de comportamento tornam o cachorro difícil, se não impossível, de ser mantido como um animal de estimação da família. Além disso, estes cachorros são cada vez menos capazes de continuar quaisquer atividades (treinamento, exercícios ou trabalho).
O último tipo de alterações comportamentais observados nos cachorros com hipotireoidismo é o início súbito de atividades convulsivas. De acordo com veterinários, estes cachorros parecem estar perfeitamente saudáveis no exterior, têm a pelagem e o apetite normais e sua energia permanece intacta, mas de repente eles têm uma convulsão, sem motivo aparente. As convulsões podem ser raras, e podem incluir comportamento agressivo imediatamente antes ou após as mesmas.

Alguma raça está mais propensa a sofrer desse problema?

Costumava-se dizer que a maioria dos cachorros com hipotireoidismo era de meia-idade e de raça de grande porte. Hoje, com base em estudos mais avançados, veterinários afirmam que a maioria dos cães com diagnóstico de hipotireoidismo são adultos jovens. Eles têm por volta de um ano e meio, e mais não quatro ou cinco como era afirmado anteriormente. Além disso, não há mais a relação entre tamanho e disfunção tireoidiana. Os veterinários também observaram que estresses ambientais e químicos resultam em um aumento a incidência de hipotireoidismo.
Mais de 70% de, aproximadamente,140 raças sofrem com o problema do hipotireoidismo. Por isso, fiz uma lista com 20 das raças mais afetadas, de acordo com a Universidade do Estado de Michigan. Mas lembre-se: não é por que a raça do seu pet não está aqui que ele nunca poderá apresentar esse problema, e também, não quer dizer que se a raça do seu cachorro está na lista, ele sofrerá desse mal com certeza.

1. Sheepdog
2. Boxer
3. Bull Terrier
4. Terrier tibetano
5. Pointer Inglês
6. Maltês
7. Beagle
8. Dálmata
9. Schnauzer gigante
10. Cocker Spaniel
11. Staffordshire Terrier Americano
12. Springer Spaniel Galês
13. Golden Retriever
14. Husky
15. Shetland Sheepdog
16. Pointer
17. Setter irlandês
18. Brittany
19. Husky Siberiano
20. Cocker Spaniel Inglês

O ideal é levar seu cachorro ao veterinário periodicamente, e não só quando ele apresentar algum comportamento/sintoma estranho. Assim, esse profissional poderá realizar exames de rotina e detectar disfunções e doenças ainda no início, o que facilita a o tratamento e, consequentemente, a cura.
Escrito por: Carolina Rocha – Médica veterinária e mestre em comportamento animal pela USP. Fundadora da empresa Pet Anjo que oferece dog walker, pet sitter e hospedagem com qualidade excepcional.


Fonte:www.petanjo.com