Dicas para alimentar um filhote de cachorro

Conheça dicas de como deve ser a alimentação dos filhotes nas diferentes fases

Os filhotes de cães, assim como nós seres humanos, quando bebês, necessitam de certos cuidados especiais e o alimento a ser ofertado tem que estar compatível com a faixa etária do animal. Os filhotes nos primeiros dias de nascidos, necessitam de tomar o leite materno, já que nele é adquirida a alimentação necessária para o seu sustento. É bastante comum encontrarmos tutores que recém adquiriram o pet filhote sem a mãe e, na esperança de alimentar o filhote com a mamadeira, coloca-o como um bebê – de barriga pra cima – e dá a mamadeira. Essa prática é totalmente incorreta e prejudicial para o animal. O animais têm que ficar em sua posição normal – de barriga para baixo – e assim ofertar o leite à quantidade que o animal queira, nem demais e nem de menos.

É a partir o trigésimo dia (30 dias), que devemos começar a desmamar o filhote. É nesse período que o tutor mais tem dificuldade em saber como desmamar e que alimentação usar depois do desmame. A transição do período lácteo para o período em que os cães se alimentam de ração, é feito quando os filhotes começam a se interessar mais pela tigela de comida da mãe, do que o leite. Esse período ocorre em média quando os animais alcançam 1 mês de vida, sendo essa a hora de começar a ofertar rações adequadas aos filhote. É importante esclarecer que não é indicado oferecer rações da mãe, nem mesmo em forma triturada. Assim como as rações para cães adultos, existem no mercado uma gama de variedades de rações para filhotes, de várias idades e porte, sendo elas apresentadas nas modalidades secas, úmidas e semi-úmidas.
No começo da mudança da alimentação líquida para a sólida, é indicado o uso das rações úmidas. É escolhida esse tipo de ração, pois os dentes dos cães recém-desmamados são bastante finos e frágeis, tendo muitos que ainda não desceram. As rações secas oferecidas como a primeira forma depois da amamentação, fazem com que ocorra dificuldade na mastigação e, conseqüentemente, a não aceitação pelos filhotes. Conforme o pet for crescendo e os dentes nascendo, a transição decorre de forma gradativa, mudando para semi-úmida até chegar na seca.
A ração seca é mais usadas em filhotes a partir dos 3 meses, onde o pet já se adaptou ao consumo de ração. A ração seca é classificada como a mais saudável de todas, pois não acumula restos de comida nos dentes, impedindo assim o acúmulo de cálculos dentários. Quando o animal aceita somente a ração seca, é indicado que esse tipo de ração seja ofertado até a fase adulta, fazendo com que os saches tornem-se apenas aperitivos para os cães.
Os cães filhotes devem receber as rações em porções pequenas e várias vezes ao dia. De forma alguma deve-se encher a tigela do cão e deixá-lo comer o quanto quiser. Normalmente os médicos veterinários indicam de 2 a 3 vezes por dia a alimentação. Isso dependendo do porte do animal e do peso corpóreo que o mesmo apresenta. De qualquer forma, o filhote deve ser levado a um profissional para que seja feita a dieta correta de acordo com cada raça.


Fonte:portal do dog