O que é Fimose e Parafimose

A Fimose canina é a condição na qual o cão(gato) não consegue expor o pênis devido a uma abertura prepucial anormalmente pequena. 
A fimose é extremamente indesejável já que, quando da excitação e ereção mesmo parcial, pode resultar em inflamação local e, até que seja diagnosticada e tratada, pode favorecer o acúmulo de sujeira, infecção e secreção fétida percebida, muitas vezes apenas quando o cão passa a se lamber muito e a incomodar o seu proprietário com essa atitude. 
Frequentemente durante os episódios de lambedura, o cão morde o prepúcio, podendo gerar traumatismo na região, infecções, além de complicar a fimose. Não existe tratamento clínico para a fimose, apenas cirúrgico, mas é uma cirurgia relativamente simples feita no sentido de ampliar a abertura prepucial e favorecer a exposição normal do pênis. Pode-se tentar o tratamento homeopático com o cão bem novinho.

Normalmente, o problema é despercebido até que o cão tenta acasalar e não é capaz de copular. O diagnóstico é estabelecido pelo exame físico do prepúcio e pênis. O tratamento depende da severidade da estenose e da utilização pretendida para o cão. Se o cão não é usado para a reprodução, a terapia provavelmente não é necessário, embora a castração deve ser considerada para evitar a excitação. Ampliação cirúrgica do orifício prepucial é indicado se o animal deve ser usado para reprodução
 O que observar
  • Tentativas de copular sem sucesso
  • Incapacidade de urinar com acumulo de urina na cavidade prepucial
  • Urina respingada
  • Lambedura excessiva de um pênis exteriorizado
  • Necrose / trauma do pênis e obstrução do fluxo de urina
O ideal é se observar e se diagnosticar essa condição bem cedo antes que hajam complicações inesperadas, já que durante uma ereção, o cão pode conseguir projetar o pênis pela pequena abertura do prepúcio e não conseguir retraí-lo em seguida, ficando o mesmo preso e estrangulado como num torniquete, correndo o risco de gangrenar. É a Parafimose, uma condição muito comum de se receber na clínica - cães jovens ou adultos logo após o coito com o pênis estrangulado, frio, entumecido, escurecido, muitas vezes sujo de terra ou sangrando, gerando muita dor e um desconforto tão grande que assusta o proprietário.... Quanto mais rápido o cão chegar à clínica, melhor será o resultado do tratamento....  Em muitos casos a cirurgia para alargamento da abertura prepucial se fará necessária e caso não se tome essa decisão imediatamente, o veterinário deve orientar o proprietário que a parafimose é uma condição que, quando não corrigida cirurgicamente, pode voltar a acontecer. ( por Dra. Denise de Mello Bobány CRMV- RJ- 1415)


 A Parafimose é uma condição na qual o pênis do animal fica exposto, ou seja , ele não volta para a cavidade prepucial. Isso acontece geralmente após a ereção, mas pode estar associado a algum traumatismo, a cópula ou até mesmo a neoplasias como por exemplo o TVT (Tumor venéreo transmissível) .

O pênis fica exposto por causa das dobras e aderências que se formam e impedem a sua retração. No início, o pênis exposto fica com a aparência normal, com o passar do tempo, a circulação local fica comprometida, o pênis exposto fica edemaciado, podendo aparecer fissuras, lacerações e miíases. O diagnóstico é feito pelo exame clínico e pelo histórico do animal, nos casos em que o pênis não esta em processo de necrose, o problema pode ser resolvido clinicamente, o animal é tranquilizado e o veterinário faz algumas manobras como aplicação de compressas frias e lubrificação do local na tentativa de voltar com o pênis para a cavidade prepucial. Em alguns casos, é feita a cirurgia para o alargamento da cavidade prepucial .

Se o animal for tratado clinicamente, com compressas e lubrificantes, o proprietário deve ser avisado que o problema pode voltar a acontecer. Nos casos mais avançados, pode acontecer gangrena e necrose do pênis, nesses casos, a penectomia (amputação do pênis) é indicada.
 
 Figura: Pênis de cão - 1-uretra; 2-ânus; 3-músculo retrator do pênis; 4-Bulbo do pênis; 5- corpo cavernoso; 6- músculo ísquio-cavernoso; 7- cauda do epidídimo; 8- Escroto ; 9- Testículo ; 10-cabeça do epidídimo; 11- Prepúcio; 12- orifício externo da uretra; 13- glande; 14- Bulbo da glande; 15-Pênis; 16-canal inguinal; 17- ducto deferente; 18- Bexiga; 19-Ureter;
 

Fontes pesquisadas: www.revistaveterinaria.com.br
www.blacklab.com.br
www.drainameducci.blogspot.com.br