Cães também precisam usar óculos

Um estudo analisou se existem mudanças na visão dos cachorros quando se tornam idosos.

Muitas pessoas começam a perceber uma piora na visão depois dos 40 anos de idade e necessitam usar óculos para leitura. Mas será que os cães também sofrem mudanças na visão quando envelhecem?
Um estudo realizado pelo centro de pesquisa da Nestlé Purina revelou que cães idosos enxergam objetos distantes “borrados”, ou seja, eles se tornam míopes.
Isso quer dizer que a visão canina muda com o passar dos anos, mas de forma diferente dos humanos porque nós temos dificuldade para enxergar objetos que estão perto dos nossos olhos conforme envelhecemos.


Será que os cães idosos precisam usar óculos? (Foto: Reprodução / BarkPost)
Será que os cães idosos precisam usar óculos? (Foto: Reprodução / BarkPost)

Os pesquisadores utilizaram um autorrefrator (aparelho usado na oftalmologia) para medir o estado ótico de 12 beagles com idades entre 1 a 14 anos.
Durante o estudo, cada cachorro passou por 5 medições em cada olho sob luz direta e indireta, totalizando 20 medições diárias.
Eles descobriram que existe uma diferença significativa na visão dos cães idosos em relação aos filhotes. Essa mudança foi notada nos cachorros entre 10 a 14 anos de idade.


O envelhecimento e suas consequências. (Foto Ilustrativa: Reprodução / Themes.com)
O envelhecimento e suas consequências. (Foto Ilustrativa: Reprodução / Themes.com)

Infelizmente, não existem óculos para cães ainda e eles precisam aprender a lidar com essa nova realidade quando envelhecem.
Com tantas novidades surgindo todos os dias no mercado pet, quem sabe alguém não invente uma maneira de nossos companheiros caninos idosos enxergarem melhor futuramente?
Enquanto isso não acontece, precisamos ter alguns cuidados especiais conforme nosso cachorro fica mais velhinho. Quando for fazer gestos, não fique muito distante do pet e procure falar ao mesmo tempo para ajuda-lo.


A visão canina sofre mudanças com o passar dos anos. (Foto: Reprodução / BarkPost)
A visão canina sofre mudanças com o passar dos anos. (Foto: Reprodução / BarkPost)

Como sabemos, os sentidos da audição e do olfato dos caninos são proverbialmente muito mais desenvolvidos que nos humanos. Mas na visão eles perdem – em termos. Para começar, eles só abrem os olhos com dez dias a duas semanas de vida, tempo necessário para seus olhos se formarem totalmente.




No primeiro ano de vida enxergam mal, e por toda a vida veem apenas algumas cores (neste espaço já demolimos o mito de eles verem somente em preto-e-branco). Mas, para compensar, eles têm visão noturna melhor que os humanos, pois sua retina é dividida em duas partes, uma escura e uma colorida, que refletem a luz – herança de quando os caninos surgiram no planeta, bem antes dos humanos, quando não existia iluminação artificial e os peludos precisavam ter boa visão à noite ou através de vegetação espessa.
Os cães dispõem também de uma terceira pálpebra interna, que encobre o olho e ajuda a recolher luminosidade do ambiente. Além disso, têm campo de visão (200 a 270 graus) mais amplo que os humanos (160 graus), podendo inclusive detetar movimentação por trás deles. E percebem melhor o movimento. Mamãe Natureza sempre trabalha bem; afinal, em ambientes pouco iluminados, nem faz muita falta distinguir cores – do mesmo modo que formas de vida residentes em grandes profundidades marinhas nem têm olhos; não havendo luz, nem precisam deles.



As semelhanças com os humanos incluem a possiblidade de miopia e riscos de conjuntivite, glaucoma e catarata, esta podendo ser causada por diabetes. O cão com problemas visuais merece ser tratado não só pelo incômodo dele próprio, mas também pelo perigo que pode representar para pessoas ou outros animais; ao sentir que não consegue ver tão bem como antes, o canino tende a ficar medroso e, portanto, demonstrar a famosa “coragem nascida do medo”, atacando a primeira sombra “estranha” que perceber.

Prevenção


O ideal é levar o peludo ao veterinário para check-up uma vez por ano e também ao oftalmologista veterinário, e examinar-lhe os olhos todo dia: ao perceber sujeira, limpe-lhe os olhos com soro fisiológico, não se esquecendo de lavar as mãos antes e depois – se o bicho tiver conjuntivite, ela pode contagiar os humanos também!
Se o veterinário receitar algum colírio ou outro medicamento para os olhos do canino, use uma de suas mãos para segurar o queixo do peludo, para evitar que ele fuja. Ao dar banho nele, cuidado para o xampu ou remédio antipulgas não cair nos olhos do animal.
E, justamente por ser tão óbvio, é sempre bom lembrar: ao atirar objetos para o bicho ir buscar, cuidado para não lhe acertar a cabeça ou os olhos!
Cães precisam usar óculos 

Caninos usam óculos


Óculos para cães, tal como os dos humanos, são de três tipos: de grau, para melhorar a visão; escuros, para proteger do vento (inclusive em bancos de carros), nevoeiro, poeira e sol; e aquáticos, para mergulho. Existe até uma firma estadunidense especializada em óculos de sol para peludos, a Doggles.
Enfim, com uma armação de cor e formato adequado, seu peludo não só vai poder ver melhor, como também ser melhor visto. E se ele latir de forma a soar como “as cadelinhas do Leblon não olham mais pra mim” (ou “os cachorros etc.”), elas/eles é que estarão precisando de óculos…



Fonte: Yahoo! Brasil
Fonte: BarkPost