Principais problemas de saúde que um shih tzu pode ter!


Atrofia Progressiva da Retina: Doença hereditária que leva o cão à cegueira. Em geral, se manifesta quando ele tem a partir de 4 anos de idade.
Sintomas: Primeiro, o cão começa a dar sinais de não enxergar bem à noite, por exemplo colidindo em objetos ou relutando em sair para passear. Depois, passa a não enxergar direito até durante o dia.
Conseqüências: Perda gradual e total da visão.
Prevenção: Submeter o cão a exame clínico que detecta o mal antes que manifeste sintomas. Isso possibilita afastar os portadores da procriação, evitando a disseminação da doença.
Tratamento: não há.



Problemas de saúde que um shih tzu pode ter


Conjuntivite


Inflamação da conjuntiva (membrana rosada da parte interna dos olhos) por trauma físico, químico ou por infestação de vírus, bactérias ou fungos. Cães que, como o Shih Tzu, têm olhos grandes e expostos costumam ser mais propensos ao problema.
Sintomas: Os olhos ficam úmidos, doloridos e com a conjuntiva vermelha. O cão pisca mais que o normal e demonstra sensibilidade à luz.
Conseqüências: Evolução para problemas oculares mais sérios, como úlcera de córnea.
Prevenção: Limpar periodicamente a região, prender os pêlos do topo da cabeça, para que não entrem nos olhos, e evitar que o cão fique exposto a outros agentes traumáticos, como produtos químicos ou objetos pontiagudos.
Tratamento: Dependendo da causa, com colírios e medicamentos sistêmicos anti inflamatórios e/ou antibióticos.


Dermatite


Inflamação da pele gerada por diversos fatores, entre eles os parasitários, alimentares, hormonais ou ambientais.
Sintomas: Queda de pêlos, coceiras, vermelhidão na pele, descamação local e mau cheiro.
Conseqüências: infecção secundária da pele.
Prevenção: Manter o cão limpo e seco, oferecer ração de boa qualidade e evitar que ele fique exposto a produtos de limpeza, sobretudo aos de cheiro forte.
Tratamento: Com antialérgicos, antiinflamatórios ou antibióticos. Mas, para que o tratamento tenha maiores chances de sucesso, a causa deve ser detectada (há exames específicos) e eliminada.


Distiquíase e triquíase


Problemas hereditários que se caracterizam, no caso da distiquíase, pelo nascimento de cílios em locais indevidos, como dentro dos olhos, e no caso da triquíase, pelo nascimento de cílios mal direcionados. Isso é, embora enraizados no lugar certo, viram-se para dentro dos olhos e os machucam.
Sintomas: Irritação na vista e lacrimejamento excessivo.
Conseqüências: Conjuntivite e úlcera de córnea.
Prevenção: O ideal é que os portadores não sejam acasalados.
Tratamento: Remoção dos cílios, o que requer técnica e uso de anestésico. Por isso, o recomendável é que a tarefa seja executada por veterinários.
 

Displasia renal juvenil


O cão já nasce com a doença, que se caracterizada pelo não desenvolvimento adequado dos rins e conseqüente perda de capacidade de filtrar adequadamente a urina. O mal é hereditário.
Sintomas: O cão bebe muita água, a urina é bastante diluída na cor e ocorre em grande volume.
Conseqüências: Subdesenvolvimento e morte.
Prevenção: Afastar os portadores da procriação.
Tratamento: Com suplementos vitamínicos e em certos casos, com hemodiálise.
 


Insuficiência Hepática


Alteração do funcionamento do fígado, causando a dificuldade de digestão e absorção dos alimentos. Suspeita-se que seja um problema hereditário.
Sintomas: Inapetência, emagrecimento brusco, letargia e urina escura.
Conseqüências: Em certos casos, morte.
Prevenção: Alimentação balanceada, porque, de forma geral, ajuda na saúde do fígado.
Tratamento: Com medicamentos que protegem o fígado (terapia hepatoprotetora), antibióticos e com rações medicamentosas próprias para esse mal.
 


Otite externa


Infecção do conduto auditivo externo (entre o tímpano e as regiões menos profundas) gerada pelo acúmulo de cera, umidade, ácaros, fungos ou bactérias.
Sintomas: Mau cheiro, febre, apatia e coceira local. O cão também pode chacoalhar a cabeça ou mantê-la mal posicionada.
Conseqüências: Dor, irritabilidade e progressão para otite interna (do tímpano para regiões mais profundas) e labirintite.
Prevenção: Limpar os ouvidos periodicamente, protegê-las durante o banho e, após, secá-las bem.
Tratamento: Conforme o caso, com antibióticos, antifúngicos ou acaricidas, tópicos ou sistêmicos.
 

Sensibilidade alimentar


Mal-estar devido à mudança brusca de alimentação.
Sintomas: Inapetência, diarréia em graus variados, queda de pêlo e seboréia.
Conseqüências: O cão emagrece, fica abatido e com a pelagem opaca.
Prevenção: Não mudar a alimentação do cão ou mudá-la de forma gradual.
Tratamento: Com medicamentos que combatam os sintomas e retomando à alimentação anterior.

 



Fonte do Texto: Clube shih tzu