CACHORRO COM PROBLEMA DE HÉRNIA UMBILICAL


Hérnias em geral, são um ponto fraco ou abertura dentro de uma massa muscular que permite que outros órgãos internos passem. Ou seja, há uma pequena abertura natural dentro de uma faixa de músculo. Podendo ser genética ou adquirida.
A hérnia umbilical ocorre através do anel inguinal (umbigo) com a protusão de conteúdo abdominal.  Muitas vezes é causada pela própria mãe. Quando a cadela tem seus filhotes, na hora do nascimento, ela tende a cortar o cordão umbilical do filhote com os dentes. Elas vão cortando e puxando, e é essa tração que faz com que o filhote apresente então a hérnia umbilical. Isso é ainda mais comum na raça shih tzus por causa da arcada dentária deles, que é inclinada para fora.
Sabe-se também que muitos machos que são criptorquidas(condição do macho na qual um dos testículos não desce ao escroto ficando retido na cavidade abdominal ou subcutâneo inguinal) apresentam herniação umbilical.

Nos casos de hérnia umbilical, geralmente não é necessário submeter o animal a uma cirurgia, a menos que este esteja sendo prejudicando. Mas na maioria dos casos os animais conseguem viver com a hérnia sem sentir dor ou qualquer desconforto.

Caso ocorra estrangulamento de alguma víscera abdominal no interior da hérnia, o cão pode apresentar vômitos, dor abdominal, ausência de apetite, entre outros mal estares. Nessa hipótese as hérnias são reparadas cirurgicamente, colocando-se as estruturas de volta para sua posição correta e depois fechando a musculatura e pele com  suturas. Isso muitas vezes requer o uso de técnicas especializadas e material de sutura de longa duração.
Mas é preciso fazer uma consulta com um bom Médico Veterinário para diagnosticar o problema. É durante o exame com um profissional que se deve definir a necessidade de urgência ou não na cirurgia, caso ocorra muita dificuldade ou impossibilidade na redução da hérnia (manobra que permite recolocação das vísceras/tecidos ao abdômen) indica-se realização do procedimento o quanto antes. Caso as vísceras retornem ao interior do abdômen facilmente, sem sinais de comprometimento local, a cirurgia pode ser programada mais tranquilamente.

Não é aconselhado que fêmeas que apresentem hérnia umbilical empenharem antes de resolverem o problema. Isso porque pode ocorrer a ampliação da hérnia durante a gestação e risco de comprometimento dos bebês e da mãe.
Cães com hérnias genéticas: (que nascem com a hérnia) não devem ser reproduzidos, pois podem transmitir esse problema aos descendentes.

O prognóstico da cirurgia e recuperação cirúrgica é excelente, geralmente quando o pós-operatório é realizado de forma adequada. Exige alguns dias de repouso, medicações e cuidados com os pontos.

Fonte: Site do Cachorro