Com que frequência o cachorro deve tomar banho?

Muitas pessoas acham essencial, muito importante, dar banho em seu cachorro pelo menos uma vez por semana. Sei, inclusive, de outras que levam o cachorro ao pet shop duas vezes por semana pois, se assim não fizerem, o "cheirinho" começa a surgir...

Ora, eu tenho uma opinião bem consolidada quanto a isso: pessoas que não gostam de cheiro de cachorro, simplesmente NÃO DEVERIAM TER UM CACHORRO COMO COMPANHIA!
 
Por outro lado, como já postei aqui, os banhos frequentes não são indicados, pois podem causar problemas de pele. Escovação rotineira é muito mais útil para limpeza, pois retira os pelos mortos e ativa a circulação sanguínea.


Alexandra Horowitz, no ótimo livro "A Cabeça do Cachorro", dá uma outra justificativa muito interessante para tentar mostrar às pessoas que nossa mania de limpeza sem fim acaba tirando do cão características que lhes são peculiares:

"Minha vizinhança não só possui uma abundância de pet shops, como também é visitada por um serviço móvel em uma caminhonete, que vai até sua casa para pegar, banhar, escovar e, portanto, 'descachorrar' seu animal para você. Sou solidária com os donos que têm uma tolerância mais baixa do que eu a detritos e poeira em suas casas: um cão bem andado e bem cansado é um eficiente espalhador de sujeira. Porém, ao banhá-los tanto, estamos privando nossos cães de algo - isso só para falar no entusiasmo exagerado de nossa cultura pela limpeza doméstica, inclusive na cama de nossos cães. O que cheira a limpo para nós é um cheiro de limpeza química artifical, algo claramente não biológico. A fragrância mais suave presente nos produtos de limpeza ainda é um insulto olfativo para um cão. E, embora possamos preferir um espaço visualmente limpo, a verdade é que um lugar totalmente livre de cheiros orgânicos seria um ambiente empobrecido para os cachorros. É melhor manter uma camiseta bem velha por perto e não esfregar o chão por um tempo.O próprio cão não tem nenhum impulso para ser o que chamamos de limpo. Não surpreende que, após um banho, ele se apresse a se esfregar vigorosamente em um tapete ou na grama. Ao banhá-lo com xampu de coco e lavanda nós o privamos temporariamente de uma parte importante de sua identidade."

Bom tema para reflexão, não?
 
 
Fonte do texto: www.caoamor.blogspot.com.br