Raças de cachorro mais queridas do Brasil

Você ainda não conhece as raças de cachorro mais queridas do Brasil? Não se preocupe! Aqui tem uma lista com os cachorros mais queridos do Brasil. Confira quais as raças de cachorro mais populares do Brasil.

1°. Shih Tzu


    
Cães da raça Shih Tzu chamam a atenção logo quando chegam em um ambiente. Visualmente atrativos, são donos de belas pelagens e focinhos curiosamente achatados. Um cachorro Shih Tzu é tão dócil e amigável que gosta de ser mimado e de ocupar o centro das atenções. É fácil de ser adestrado, mas não é recomendado para famílias com crianças pequenas, por seu porte frágil, e precisa se acostumar a ficar algum tempo sem o dono – caso contrário, pode desenvolver ansiedade de separação.
Não é um cão indicado para guarda ou esportes – é o “bon vivant” canino. Apesar de não haver exigência de atividades físicas intensas, é um cachorro que exige cuidado com os pelos. Com bons cuidados, torna-se um belo e afetuoso canino. Vive entre 10 e 18 anos. Aprenda a como cuidar de um shih tzu.

2°. Sem raça definida (ou “vira-lata”)

    

Cerca de 20% dos cães brasileiros não têm raça definida ou são mestiços descendentes. Apelidados de “vira-latas” no Brasil, os cães SRD (sem raça definida) não têm características específicas porque eles abstraem um pouco de cada antepassado.
No entanto, é fácil afirmar que são cães dóceis e até ariscos, especialmente os que estão nas ruas ou em lares para adoção. Por isso, antes de pensar em comprar um cachorro, lembre-se da possibilidade de adotar.


3°. Poodle

    
    
Estima-se que 12% dos cachorros que vivem no Brasil são Poodles, o que torna a raça definida mais presente no país. Os Poodles são sociáveis, afetuosos e muito inteligentes. Encaixam-se em vários tipos de famílias e são facilmente adestráveis. Gostam de estar no centro das atenções.
Há quatro tamanhos: grande, médio, anão e toy. Enquanto os Poodles anão e toy são mais sensíveis fisicamente, os Poodles grande e médio são mais robustos e precisam de atividades físicas com maior frequência. Vive entre 14 e 18 anos.


4°. Pinscher


   
Quase 7% dos cachorros brasileiros são pinschers – a maior parte na variação em miniatura. Apesar de ser de pequeno porte, a raça é conhecida por ser confiante, segura e sempre alerta. Não é raro encontrar pinschers que desafiam, mesmo que seja apenas com latidas, seres muito maiores que sejam considerados intrusos. Um cachorro de raça Pinscher é muito ativo e precisa de exercícios físicos constantes, além de ser divertido e, por vezes, até engraçado.
Não é tão fácil adestrar um Pinscher, pois é necessário trabalhar na educação dele desde o início para obter bons resultados. Caso seja bem adestrado, é um cão fácil de ser cuidado, com quantidade menor de pelos soltos e poucos problemas de saúde frequentes. Vive entre 12 e 15 anos.


5°. Labrador


   
Estima-se que quase 6% dos cães no Brasil sejam da raça Labrador. A simpatia e a versatilidade são as principais características desta raça. Simpatia porque é um cão amigável, dócil, que se dá bem com todo tipo de ser humano, inclusive crianças. Versatilidade porque pode ser utilizado como um cão de caça, um guarda, guia para cegos ou até um cão de busca, para uso policial.
É fácil de ser treinado, mas é necessário ter atenção no adestramento – que deve ser firme, mas sem coerção – e na rotina de exercícios físicos, pois, por ser uma raça de cachorro muito ativa, o dia-a-dia deve ser mais agitado. Tem pelagem curta e adora água. Vive entre 10 e 13 anos.



6°. Yorkshire

    
Os 5% de cães Yorkshire entre as raças brasileiras chamam a atenção pela aparência. São belos, pequeninos e bastante peludos. No entanto, não se deixe levar pelo visual: os Yorkshires têm outras características atrativas. Um cachorro Yorkshire é brincalhão, dócil, sociável e muito apegado ao dono. É um caçador natural de roedores e late sempre que sente que precisa avisar algo ao dono.
O adestramento precisa ser feito com atenção e especialmente paciência, pois trata-se de uma raça teimosa. No entanto, não é um trabalho tão difícil, pois Yorkshires gostam de atenção, ainda mais de seus donos ou tutores. Apesar de afetuosos, não são recomendados para famílias com crianças pequenas, tendo em vista a fragilidade de seu corpo. Vive entre 12 e 16 anos.


7°. Maltês


   
Não se engane pela aparência fina: um cachorro da raça Maltês é brincalhão e cheio de vigor. Pode até mesmo se tornar um cão de guarda, apesar de ser uma espécie de pequeno porte. É leal, fiel e bastante sociável.
Diferente de outros pequenos cães, o Maltês é enérgico e precisa gastar a sua energia. Adapta-se a diferentes ambientes e pode viver com diferentes tipos de famílias – só não lida tão bem com crianças muito pequenas por ter um porte frágil. É possível até mesmo entrar em competições animais, como as que estão relacionadas com obediência e agilidade. Vive entre 15 e 18 anos.

8°. Pug


    
A expressão facial realmente traduz como é o Pug: um cão afetuoso, sensível e expressivo. É tão amigável que se dá bem até mesmo com outros cães ou gatos, além de crianças. Afeiçoado a seres humanos, o cachorro da raça Pug sente necessidade de estar em sociedade. Chega a ser ainda mais humanizado quando faz barulhos ao respirar ou leves roncos quando dorme – tudo isso em função de seu focinho achatado.
Leal, obediente e fácil de ser adestrado, o Pug tem o hábito de seguir o dono ou tutor onde quer que ele vá. Por isso, é necessário trabalhar para que, desde cedo, ele se acostume a ficar sozinho e não desenvolva ansiedade de separação. Não é uma raça de cachorro muito atlética, apesar de não ser tão vulnerável quanto as espécies de menor porte, então não requer muitas atividades físicas. Por outro lado, exercícios mentais são uma boa pedida e cuidados com a saúde são essenciais, visto que sua respiração não é perfeita e sua adaptação climática ao frio pode ser problemática. Vive entre 12 e 14 anos.

9°. Golden Retriever


   
Uma raça de cachorro ideal para quem gosta de estar sempre ao ar livre. O Golden Retriever se destaca pela versatilidade – pode ser utilizado para caça ou guia para cegos – e por ser muito afetuoso, especialmente com crianças. É enérgico e atlético. Consegue praticar até mesmo natação e gosta de saltar em humanos, como uma forma de saudá-los.
Não é necessário adestrar um Golden Retriever da forma convencional. Basta instruir, com calma e paciência, pois é um cachorro dócil, que se envolve até mesmo com estranhos. É preciso ter cuidado para dar educação ao cão desde cedo, caso contrário, ele pode ficar desobediente. Vive entre 10 e 12 anos.


10°. Bulldog Francês

    

O carismático orelhudo abre a lista, em décimo lugar na preferência dos brasileiros. O bulldog francês é pequeno, mas tem o corpo desenvolvido e pode adquirir massa muscular com facilidade, desde que se exercite. Não se trata, porém, de um cachorro atlético – ele precisa de atividades físicas em sua rotina, mas também adora ficar deitado. Tem pouca queda de pelo e é fácil de ser tosado.
Ele precisa de treinamento desde cedo e de atividades dinâmicas, por ser um cão inteligente e pensativo. Caso não esteja sendo treinado ou supervisionado com alguma frequência, pode tomar gosto por cavar. É uma raça afetuosa, sociável até mesmo com crianças e que tende a não latir de forma desnecessária. O que não significa, porém, que não esteja em alerta – caso um bulldog francês comece a latir, é importante verificar o que pode ser. Vive entre 9 e 12 anos. Essas são as raças de cachorros mais queridas do Brasil.


Viu algum erro ou gostaria de colaborar com essa matéria? Clique aqui!










Fonte do Texto: Credite ou Não