Tutora denuncia maus-tratos após shih tzu ser 'esquecido' em pet shop em SP - Shih Tzu Brasil Pular para o conteúdo principal

Tutora denuncia maus-tratos após shih tzu ser 'esquecido' em pet shop em SP

 Segundo analista fiscal de 36 anos, cãozinho ficou trancado dentro do estabelecimento após todos os funcionários irem embora, em Santos, no litoral paulista.

A analista fiscal Aline Sellera, de 36 anos, conta que sua mãe levou o cãozinho para tomar banho no pet shop, localizado no bairro Campo Grande, por conta do movimento de clientes, a tutora afirma que não havia previsão para o fim do atendimento.

Por volta das 16h, a mãe de Aline ligou para o pet shop e foi informada de que Nick ainda não havia sido atendido, conforme explica Aline. 

"Pediram que ela deixasse um contato para retornarem assim que tivessem terminado, e minha mãe deixou. Só que não retornaram, era quase 18h e ninguém tinha ligado ainda".

"Ligamos várias vezes, deixei mensagens, mas não tive nenhuma resposta, até que decidi ir até lá. Quando cheguei, vi que estava tudo fechado, com as luzes apagadas, e entrei em desespero por não saber do meu cachorro", desabafa Aline.

Auxiliada por um morador, a analista conseguiu entrar em contato com os proprietários do pet shop. "Consegui falar com uma mulher, que me disse para ter calma, que já estavam indo até lá". 

Segundo Aline, um homem estacionou em frente ao pet shop e desceu em direção ao estabelecimento.

"Ele não me falou nada, só foi abrindo a porta e entrando. Eu fui atrás, na minha cabeça eu só achava que meu cachorro estava morto naquela hora. 

Estava tudo fechado, escuro, e quando encontrei o Nick, ele estava todo tremendo, sendo que nem em casa ele fica sozinho, eu nem imagino o medo que ele sentiu", afirma a tutora.

Aline conta, ainda, que quando pegou o shih tzu, avisou ao homem que denunciaria o caso à Polícia Civil, e que ele debochou dela. 

"Quando falei que ia registrar o boletim de ocorrência, ele balançou os ombros, fez pouco caso. Até hoje, não tive qualquer resposta sobre o que aconteceu".

Ainda no sábado, a tutora denunciou o caso como maus-tratos na Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (Depa), sendo encaminhado para investigação no 2º Distrito Policial de Santos. 

"O que me revolta é que, até hoje, ninguém me deu qualquer satisfação, me pediu desculpas. Só quero que ninguém passe pelo que passei, que nenhum bichinho passe pelo que o meu passou", finaliza.

Via: G1

Recomendamos