Pet shop em Bairro chique Vende Cachorro vira-lata como Shih Tzu por R$ 1,5 mil e Dona se revolta - Shih Tzu Brasil Pular para o conteúdo principal

Pet shop em Bairro chique Vende Cachorro vira-lata como Shih Tzu por R$ 1,5 mil e Dona se revolta

 Pensando ter comprado um cão da raça Shih Tzu, uma moradora desembolsou R$ 1,5 mil pelo animal, mas depois de um mês notou que o shih tzu era, na verdade, um vira-lata. 

Desde então, a dona do cão tenta o ressarcimento com o pet shop, localizado na Cidade Jardim, bairro nobre de Campo Grande. A moradora, […]

Cão comprado há um mês como Shih Tzu é, na verdade, um vira-lata

A moradora, que preferiu não se identificar, disse ao Jornal Midiamax que em junho procurou o pet shop Pet Garden para comprar o cão com pedigree. 

Ela afirma que pagou pelo animal a vista e depois de uns dias, conforme o filhote ia crescendo, notou que não era da mesma raça que empresa afirmava ser.

Conforme uma das cláusulas do contrato de venda, o pet shop se responsabiliza em vender um cão da raça Shih Tzu, macho, tricolor, nascido em ninhada no mês de abril. 

Devido a raça não ter sido a combinada à cliente, a mulher quer o dinheiro de volta, mas pet shop estaria se recusando a devolver o valor.

“Não é Shih Tzu nem aqui, nem na China. Mas eu já amo ele. Só quero que eles devolvam o meu dinheiro, mas eles falam que não tem e que é para eu pegar outro cachorro. E não é assim”, afirmou à reportagem.

Pet shop em bairro chique vende vira-lata como cão de raça por R$ 1,5 mil e dona se revolta

A moradora procurou o Procon-MS para tomar as providências e relata que conhece mais clientes do mesmo pet shop que compraram filhotes de pedigree, mas na verdade eram cães sem raça definida, os famosos vira-latas.

O mesmo pet shop já foi alvo de ação do Procon-MS em abril, por não ter um veterinário responsável e nem documentos que comprovassem a origem dos animais expostos a venda.

A reportagem procurou o proprietário do pet shop, que disse ter devolvido o dinheiro para a moradora. Ela confirmou ao Midiamax o ressarcimento(*). 

Ele explicou que a cadela que deu a cria pode ter se relacionado com outro cão e o animal vendido a moradora pode ser sido uma exceção da ninhada, pois os demais cães são de pedigree.

Além disso, o proprietário afirmou que o estabelecimento segue as normas estabelecidas pelo CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária).

Via:midiamax

Recomendamos