Seu shih tzu te segue pela casa? Cuidado!!! - Shih Tzu Brasil Pular para o conteúdo principal

Seu shih tzu te segue pela casa? Cuidado!!!

Sabe aquele shih tzu apelidado de sombra, que segue pela casa toda? Sinal de alerta! Esse pode ser um comportamento que demonstra sofrimento e insegurança. Mas tem como resolver.

Você vai para a cozinha, o seu shih tzu vai atrás. Você volta para a sala, seu cachorro te segue. Até quando você vai ao banheiro, ele vai junto. Se fecha a porta, ele fica te esperando.

Esse é o cenário pode ser de um shih tzu inseguro, tenso, que tem seu o seu bem-estar comprometido. Pode parecer algo simples e bobo, mas sinais de alerta são emitidos pelo cão o tempo todo. Mas cabe a nós sabermos interpretá-los.

Pode parecer amor e até nos sentimos mais queridos pelo fato do shih tzu nos seguir onde quer que vamos na casa

Mamãe do shih tzu: Roberta Alves

Se ele não segue, muitas vezes fica deitado, olhando aonde vamos, e, se perde o contato visual, aí sim ele vai nos procurar.

Normalmente o motivo desse comportamento está relacionado à insegurança, a um excesso de apego entre shih tzu e tutor. 

Apego não é sinônimo de amor, muito menos de algo ruim. Todos nós desenvolvemos relações de apego com animais e humanos. 

A grande questão é o tipo e a qualidade desse apego.

Como resolver?

O primeiro passo é compreender o que leva o shih tzu a ter cada um dos comportamentos avaliados como errados ou problemáticos. Em seguida, propiciar atividades que auxiliem o cão a desenvolver segurança.

O enriquecimento ambiental é uma ótima ferramenta para auxiliar nesse processo. 

Isso porque os desafios, quando resolvidos pelo shih tzu sozinho, sem auxílio humano, liberam dopamina. Esse neurotransmissor é primo da noradrenalina e adrenalina, que influenciam diretamente no nosso humor. 

Assim, com a liberação da dopamina, o shih tzu tem a sensação maior de bem-estar e segurança.

Outro fator muito importante é oferecer um espaço de descanso para o shih tzu, que pode ser uma caminha ou casinha, e respeitar esse espaço. Se ele estiver lá, não vá até ele. 

Não o tire de lá. No máximo leve um brinquedo para ele interagir sozinho, sem precisar da sua ajuda. Um mordedor pode ser uma ótima pedida. 

Elogie cada vez que ele se sinta seguro para ficar longe de você. E, por último, mas não menos importante, evite chama-lo para ficar com você.

Por mais que tudo isso possa parecer difícil, é mais do que necessário colocar em prática para aumentar a qualidade de vida e bem-estar dele. Afinal, a manutenção da felicidade do cão é nossa responsabilidade.

Redação: E mais Estadão


Recomendamos