Como acabar com as pulgas do Cachorro

Saiba tudo sobre pulgas em cachorros e descubra como combatê-las

   

Quando perguntamos aos donos de Cachorros o que mais os assusta durante os meses de verão, o tema que sempre vem à tona é o problema das pulgas. Pulgas em cachorros. Esses pequenos insetos marrom-escuro gostam de temperaturas quentes e bastante umidade, por isso, em algumas regiões, eles são mais do que um simples “problema de verão”.
Cachorros costumam pegar pulgas através do contato com outros animais ou com as pulgas do ambiente. As pernas traseiras fortes desse inseto o habilitam a pular de hospedeiro em hospedeiro ou do ambiente para o hospedeiro. (Pulgas não tem asas, por isso não podem voar!) A mordida da pulga causa coceira no hospedeiro, mas para um animal sensível ou alérgico a pulgas, essa coceira pode ser intensa e levar a perda de pelos, inflamações e infecções secundárias de pele. Alguns animais, hipersensíveis a saliva da pulga, terão coceiras por todo o corpo, mesmo que com apenas uma mordida ou uma única pulga.

Antes de bater o desespero e sair correndo pela vizinhança repetindo “Meu cachorro está com pulga, o que eu faço?”, acalme-se, saiba que existem alguns princípios básicos de prevenção, riscos e tratamentos que todos os donos de cães deveriam saber. O conhecimento certo pode proteger o seu cão contra essa ameaça.

pulgaA informação sobre pulgas apresentada aqui tem como foco o tratamento e a prevenção de pulgas que, vamos falar a verdade, é tão importante para o animal quanto para seu dono.

Como saber se as pulgas estão causando toda aquela coceira – formalmente chamada de prurido? Geralmente, diferentemente dos microscópicos Demodex ou ácaros de sarna, pulgas podem ser vistas correndo pela superfície da pele. De cor cobre escuro e do tamanho da cabeça de um alfinete, pulgas não gostam de luz. Se procurá-las em regiões de mais pelo, na barriga e parte interna das coxas do animal, você terá mais chances de encontrá-las.

Procure por “sujeira de pulga”, também. A “sujeira de pulga” se parece com pequenas manchas escuras de pimenta espalhadas pela superfície da pele. Se encontrar sujeira de pulga, que na verdade são as fezes da pulga compostas de sangue digerido, pegue algumas do animal e coloque em uma toalha de papel molhada. Se após alguns minutos as pequenas manchas se espalharem como manchas de sangue, então isso é sujeira de pulga e seu cão está mesmo com pulgas!

Como descobrir se o seu cachorro está com pulgas


Para cada pulga que você vê, há 50 outras que você não vê. Por isso, se o seu cão está se coçando muito, é possível que ele esteja infestado.
Você pode inspecionar com um pente fino com cerdas bem próximas, desenvolvidas para passar e remover tudo que esteja no pelo.
Passe pelo corpo do seu cachorro, dando atenção especial para a parte inferior das costas, perto da cauda.
Se você não encontrar pulgas, observe pequenos pedaços pretos de resíduos, podem ser provenientes de pulgas, já que o material fecal das pulgas consiste basicamente de sangue animal seco. Para exame mais próximo, coloque o resíduo em cima de um papel toalha e passe um pouco de água. Veja se ganha uma cor avermelhada.

O que é a pulga?


Dos mais de 1900 tipos diferentes de espécies de pulga, os donos de cachorros estão mais preocupados com uma em particular: a Ctenocephalides felis.
A pulga é um Ectoparasita (ataca a parte exterior do corpo do hospedeiro) que alimenta-se do sangue (hematófago) de mamíferos e aves. Apesar das pulgas não infestarem humanos, elas podem sim mordê-los.
Um dos problemas mais comuns vistos nos consultórios veterinários pelo mundo, as pulgas são bem sucedidas na arte da sobrevivência.

Entendendo o ciclo de vida das pulgas


Ciclo de vida da pulga

Para entender como e por que as opções de tratamento funcionam, devemos compreender o ciclo de vida das pulgas, pois diferentes tratamentos modernos e os produtos preventivos funcionam em fases diferentes desse ciclo. Há muitos estágios em seu ciclo de vida: ovo, larva ou lagarta, pupa ou casulo e adulto. O período de tempo necessário para completar esse ciclo varia de acordo com as condições ambientais, como temperatura, umidade e a disponibilidade de um hospedeiro nutritivo.



Além de extremamente desconfortável, já que podem chegar a picar o animal mais de 400 vezes por dia, as pulgas em cachorros representam um risco não só para o cão mas também para os humanos que convivem ao seu redor. Esses minúsculos parasitas externos vivem em função do sangue de mamíferos, e suas mordidas podem trazer grandes problemas para a saúde do cão.
Antes de bater o desespero e sair correndo pela vizinhança repetindo “Meu cachorro está com pulga, o que eu faço?”, acalme-se, saiba que existem alguns princípios básicos de prevenção, riscos e tratamentos que todos os donos de cães deveriam saber. O conhecimento certo pode proteger o seu cão contra essa ameaça.

         Anatomia da Pulga


Visão microscópica de uma pulga aumentada em 80 vezes. Foto: Foto feita por Dr. Darlyne A. Murawski/ National Geographic/Imagens GettyAs partes da boca de uma pulga são adaptadas para perfurar a pele do animal e sugar o sangue. Duas lacínias (lembrando serrinhas) cortam a pele e também ficam juntas para formar um canal para a saliva. A Galéa é como uma agulha, e cercada pelas lacínias, juntas formam um estilete, ou em outras palavras, um órgão de perfuração. O pré-mento e os palpos labiais formam o lábio e dão suporte ao estilete. Uma vez que uma pulga morde seu hospedeiro, o sangue viaja de um vaso sanguíneo através da gálea até o corpo da pulga.  Isto provoca muita sucção, proveniente das bombas existentes na boca e no aparelho digestivo da pulga.
As pulgas não possuem asas e seus corpos são achatados nas laterais, possuindo pelos e espinhos, facilitando a movimentação.
Com três pares de pernas anexadas ao seu tórax, as pernas traseiras são bastante longas e podem ser dobradas através de várias juntas. Para saltar, a pulga curva sua perna e uma almofada de proteína elástica chamada resilina armazena energia. Um tendão mantém a perna curvada no lugar. Quando tendão é liberado, a perna retorna à posição inicial praticamente no mesmo instante e a pulga acelera . No pouso, a pulga usa minúsculas garras localizadas nas extremidades de suas pernas para agarrar-se à superfície. Essa estrutura possibilita que uma pulga pule 1 metro de distância (200 vezes o próprio tamanho). Seria o equivalente de um ser humano saltar o comprimento de um campo de futebol inteiro.
Afora algumas adaptações específicas, as pulgas são muito parecidas com os outros insetos.

Assista a uma pulga pulando em câmera lenta


A Reprodução das pulgas


As pulgas fêmeas copulam sobre as costas dos machos, que por sua vez, possuem dois órgãos genitais extremamente complexos.
Cada um dos órgãos genitais do macho possuem 1/3 do comprimento total do corpo do animal, com um deles responsável por segurar a pulga fêmea durante a cópula e o outro é o órgão reprodutor.
As fêmeas possuem uma cavidade atrás do abdômen para armazenar esperma, que mantém o esperma ativo durante vários meses.


O hospedeiro da pulga é um animal de sangue quente, como cachorros (ou mesmo humanos!) Porém, os vários estágios das pulgas são muito resistentes a temperaturas frias. A fêmea adulta vive tipicamente por muitas semanas em um animal. Durante esse período de tempo, ela suga o sangue do animal duas ou três vezes e libera de vinte a trinta ovos todos os dias. Ela pode liberar centenas de ovos durante seu tempo de vida. Esses ovos caem do cachorro no quintal, tapete, e onde mais o cachorro passe seu tempo.

Esses ovos se desenvolvem no mesmo lugar onde foram deixados. Tendo cerca de 1/12 do tamanho de um adulto, eles também podem se desenvolver em pequenas fissuras no piso e entre as fendas dos carpetes. O ovo depois evolui para larva. Essas pequenas larvas tipo minhocas, vivem entre as fibras do tapete, em fissuras do solo e no ambiente exterior. Elas se alimentam de matéria orgânica, escamas de pele e mesmo das fezes ricas em sangue das pulgas adultas.

As larvas crescem, se transformam mais duas vezes, e depois formam um casulo e uma pupa, onde ficam aguardando a hora certa para eclodir em um adulto. Essas pupas são muito resistentes e são protegidas pelo casulo. Elas podem sobreviver por um longo tempo, até que encontrem as devidas condições ambientais e um hospedeiro disponível. Depois elas emergem de seus casulos quando detectam calor, vibrações e exalação de dióxido de carbono, o que indica a presença de um hospedeiro. A pulga adulta recém-surgida pode pular para o hospedeiro mais próximo imediatamente.

Sob condições ideais, a pulga completa seu ciclo de vida em 14 dias. Agora imagine as dezenas de milhares de pulgas que podem surgir sob condições favoráveis.

Conhecer seu ciclo de vida permite compreender por que é importante cuidar, tanto do animal, como dos ambientes interno e externo para controlar o número de pulgas. Passar um pouco de talco no animal não adianta. Apenas limpar a casa também não adianta, e nem mesmo colocar uma coleira anti-pulgas no seu cão.


Pulgas em cachorros


Além de extremamente desconfortável, já que podem chegar a picar o animal mais de 400 vezes por dia, as pulgas em cachorros representam um risco não só para o cão mas também para os humanos que convivem ao seu redor. Esses minúsculos parasitas externos vivem em função do sangue de mamíferos, e suas mordidas podem trazer grandes problemas para a saúde do cão.
Antes de bater o desespero e sair correndo pela vizinhança repetindo “Meu cachorro está com pulga, o que eu faço?”, acalme-se, saiba que existem alguns princípios básicos de prevenção, riscos e tratamentos que todos os donos de cães deveriam saber. O conhecimento certo pode proteger o seu cão contra essa ameaça.

Ciclo de vida das pulgas


As pulgas se desenvolvem por meio de metamorfose completa. O ciclo das pulgas é dividido em 4 fases: ovo, larva, pupa e inseto adulto. A característica desse ciclo é uma vantagem evolutiva para a pulga e faz com que seja particularmente difícil para os donos de cães que tentam erradicá-la.
O ciclo inteiro do ovo para a fase adulta gira em torno de 2 à 3 semanas. Esse tempo pode ser mais longo em temperaturas frias.

Ciclo de vida de uma pulga.


O Ovo


Levando em consideração que na população de pulgas dentro de uma casa, cerca de 1/3 se encontra em estágio de ovo, é fácil compreender a rapidez da reprodução e consequentemente das infestações. Espera-se que por dia, uma fêmea adulta se alimente de 2 a 3 vezes e  ponha até 40 ovos por dia. As pulgas fêmeas podem chegar a colocar 800 ovos durante sua vida.
Os ovos são depositados no hospedeiro, porém geralmente caem no ambiente. Por representarem 1/12 do tamanho de uma pulga adulta, isso significa que eles podem se desenvolver literalmente em qualquer minúscula cavidade no ambiente (camas, carpetes, no piso, etc) de maneira imperceptível. Os ovos incubam melhor com a temperatura entre 18 e 26ºC e no clima quente e úmido.
Tipicamente os ovos levam de 1 à 10 dias para eclodir.

Prescrição de medicamentos


Há uma grande variedade de produtos contra pulgas hoje em dia, mas os produtos mais novos estão finalmente vencendo a frustração do controle de pulgas, com marcas populares e altamente eficientes. Em alguns casos é possível combater as pulgas tratando apenas o animal. Alguns desses produtos não combatem as pulgas adultas, mas impedem a incubação dos ovos, interrompendo o ciclo de vida da pulga. Sem reprodução, a população de pulgas se dissipa, desde que o animal não entre em contato com novas pulgas continuamente.

Em climas quentes, esse tratamento continua o ano todo, mas em outros climas o tratamento deve começar antes da primavera, que é o início da estação das pulgas. Além disso, esse tipo de produto não é adequado para animais alérgicos a saliva de pulgas (com hipersensibilidade a mordidas), pois as pulgas adultas não são mortas e continuam mordendo o animal.


Medicamentos sem prescrição


Há também muitos outros produtos que matam as pulgas do animal e não precisam de receita médica. Porém, a desvantagem é que alguns desses produtos são menos eficientes do que os receitados, mas anda assim ajudam no controle da população de pulgas. Os produtos sem receita incluem xampus, talcos, sprays, coleiras e loções.


No ambiente


Junto a qualquer tratamento de combate às pulgas é necessário tratar os animais da casa para obter pleno sucesso. Além disso, você precisará cuidar do ambiente interno e externo. Ao cuidar do ambiente interno, é importante lavar as roupas de cama com água quente e sabão, especialmente se os cães passam tempo em sua cama. Todos os tapetes devem ser aspirados e o saco do aspirador jogado fora. A limpeza a vapor também pode matar algumas larvas. Lembre-se de que, apesar de lavar os tapetes, ainda haverá boa porcentagem de pulgas vivas, por isso algum tratamento químico pode ser necessário.

A casa toda está agora pronta para o tratamento. Muitas escolhas estão disponíveis, incluindo nebulizadores altamente eficientes. Os produtos mais eficientes são os que contêm ingredientes para matar pulgas adultas e pulgas em outros estágios do ciclo. Este último é chamado de regulador de crescimento de insetos.

Metopreno é um desses reguladores. Nebulizadores de aerosol não penetram o suficiente, em alguns casos, para matar todas as pulgas e larvas escondidas. Outra opção é um produto de borato de sódio que é aplicado no carpete. Considere a opção de chamar uma dedetizadora para ter a garantia de que o procedimento vai eliminar as instalações de pulgas.

Tratando o ambiente


Imagine que apenas 5% das pulgas se encontram no animal e os 95% estão no ambiente. Por isso é essencial que o dono trate o ambiente e o cachorro paralelamente.
Conheça algumas opções para tratar o ambiente e deixá-lo livre de pulgas:
– O aspirador com potência de no mínimo 1.000 watts. Seu poder de sucção consegue recolher os ovos que ficam presos nos carpetes. É importante aspirar as diversas superfícies nas quais os ovos podem estar escondidos.
– Pode ser uma boa prática a aspersão de inseticida aerossol no saco do aspirador, após o serviço, com o intuito de eliminar as pulgas adultas. Após o processo, descartar o saco.
– Após a lavagem usual dos pertences usados pelo cão, ferver por 10 minutos cobertores e panos.
– Em casos de infestações severas, é recomendado realizar uma dedetização no ambiente com empresas especializadas em controle de pragas urbana.

Tratando o animal


O ideal é que o tratamento seja administrados de maneira preventiva, sistemática e constante com o uso de antipulgas com efeito residual (medicamentos aplicados que combatem apenas as pulgas adultas).
Use apenas produtos que sejam de uso veterinário e jamais aplique nos animais inseticidas para controle ambiental de insetos.
Há diversos produtos de marcas conhecidas, do tipo spray ou spot (para pingar). A dosagem dos produtos varia dependendo do porte do cachorroe seu peso.
Os sabonetes e shampoos antipulgas podem ser ineficazes, pois não apresentam o efeito residual e podem ser tóxicos para filhotes e animais idosos.
Converse com o seu veterinário e ele irá indicar o melhor medicamento para o seu cachorro.

Erradicar as pulgas não será barato, mas qual o preço de viver livre de infestações de pulgas?


Para controle externo, sprays e inseticidas são geralmente usados depois que a casa e os cachorros estão totalmente limpos. Um regulador de crescimento de insetos é também uma boa escolha. Pyriproxifen é mais estável à luz do sol e dura mais tempo ao ar livre do que metopreno.

Alguns nematóides (vermes minúsculos) não-tóxicos também podem ser espalhados no quintal, que são quentes e úmidos e frequentados por animais e pulgas. Os nematódeos se alimentam das larvas da pulga.

Não deixe de consultar seu veterinário para saber quais métodos e produtos são melhores para você e seus animais. Seu veterinário será sua melhor fonte de informação sobre pulgas. É uma batalha, portanto… boa sorte e bom controle de pulgas!

Muitos cães que vivem sob péssimas condições, além de pulgas apresentam carrapatos. Saiba mais sobre a babesiose.

Fonte do texto é de autoria dos blogs Tudo Sobre Cachorro e do Portal do Dog.