Atopia em cães

http://www.shihtzubrasill.com.br/
 A atopia é uma doença alérgica crônica, de origem genética e incurável. A atopia atualmente acomete a pele de mais de 30% dos cães que vivem em centros urbanos.

A atopia gera uma reação de hipersensibilidade a inúmeros alérgenos ambientais, que podem ser absorvidos pela pele, por inalação e até mesmo pela ingestão.

A pele do cão com atopia apresenta uma falha na função de barreira protetora, assim predispõe a perda de água, o que torna a pele do cão atópico mais ressecada, facilitando a entrada de agentes alérgenos ambientais, esta pele é programada genéticamente para ser muito reativa frente a qualquer substância.

SINTOMAS

 

A coceira intensa é o sinal mais comum da atopia, o grau de coceira é bem intenso e inclui desde lambedura de patas até a mordedura da pele e pelagem. A maioria dos cães com atopia apresentam coceira diurna e noturna.

O principal perfil do animal com atopia é o cão de raça pura de pequeno porte e que vive em apartamento.

A atopia promove condições ideais para um crescimento exacerbado de germes comuns na flora comum da pele canina, como bactérias e fungos, estes são também conhecidos como super antígenos, que tendem a complicar ainda mais a inflamação da pele e geram por sua vez mais coceira.



Os cães atópicos podem apresentar sinais a partir da adolescência, mas a maioria dos cães atópicos apresentam os primeiros sinais entre 1-3 anos de vida.

Outros sintomas da atopia incluem: vermelhidão da pele, descamação, queda de pelo escurecimento da pelagem e cheiro forte.

A atopia comumente gera lesões de eritema (coloração avermelhada da pele ocasionada por vasodilatação capilar, secundário a inflamação da pele) e liquenificação (espessamento da pele com acentuação dos sulcos, em decorrência do ato de coçar persistentemente).

A atopia pode acarretar lesões no corpo todo, mas as regiões mais comumente acometidas são: patas, axilas, virilhas, flexuras, orelhas, perianal e periocular.

CAUSAS

Inúmeros fatores complicam e perpetuam a atopia, por exemplo:


picada de insetos (pulgas, carrapatos, formigas, pernilongos).
aeroalérgenos (alérgenos inalantes: pólen, poeira, ácaros, fumaça de cigarro).
trofoalérgenos (proteínas da dieta)
endócrinos (hormônios)
obesidade
manejo (banhos inadequados, produtos mal indicados)
piodermites (infecções bacterianas)
dermatofitoses (infecções fúngicas)
comportamentais (ansiedade)

TRATAMENTO 


O tratamento da atopia exige muita dedicação do proprietário e do veterinário.

A resposta individual de cada cão é bem variável, assim como a sua exposição aos alérgenos. O tratamento da atopia pode ser divido em tratamento de ataque a fim de combater crises e tratamento preventivo.

O tratamento da atopia deve ser feito por veterinário dermatologista, assim o animal atópico pode ter uma boa qualidade de vida e saúde.


Fonte:www.totalvet.com.br